FMI deverá voltar a apoiar Moçambique em 2017

2016-11-14
Fonte: Macauhub
Foto por: FMI

O Fundo Monetário Internacional deverá retomar o apoio a Moçambique até ao final do segundo trimestre de 2017, depois do país ter começado a dar os primeiros passos para fazer com que a dívida pública assuma valores sustentáveis, afirmou em Maputo o representante permanente do FMI em Moçambique.

A data exacta não é possível definir, mas penso que se venha a situar entre o final do primeiro trimestre e o início do segundo trimestre”, declarou Ari Aisen, durante uma conferência promovida pelo Financial Times na capital moçambicana.
Ari Aisen disse ainda estar a decorrer um diálogo diário entre a instituição e o governo no sentido de retomar o apoio a Moçambique e acrescentou que não deverá passar pelo programa que foi suspenso este ano devido à revelação do escândalo das dívidas escondidas, “devendo vir a ser aprovado um novo programa.”
O representante do FMI salientou que Moçambique está a dar “passos certos” nos três elementos que o Fundo entende serem cruciais para o seu regresso ao país, de acordo com a agência noticiosa Lusa.
Já houve um passo importante dado no sentido de reestruturar a dívida, as políticas macro-económicas estão a ser ajustadas na direção correcta e na auditoria, que é um tema fundamental, houve um trabalho bastante intenso com a Procuradoria-Geral [da República]”, afirmou.
Ari Aisen recordou que a revelação de 1,4 mil milhões de dólares de encargos garantidos pelo Estado, à revelia dos parceiros internacionais e do parlamento, levantou um “problema de confiança”, mas disse não ter motivo para acreditar que haja mais dívidas escondidas.
Salientando que a auditoria internacional independente vai produzir informação transparente e lembrou que os termos de referência para auditoria já foram discutidos entre a diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, e o Presidente moçambicano, quando Filipe Nyusi visitou Washington em Setembro passado.

Novembro 2016

Bookmark and Share