Depois do E-commerce, o TV-commerce também tem espaço da Televisão

2018-04-13
Fonte: PC Guia/ E-commerce Brasil
Foto por: Yubuy

A yubuy é a startup responsável pela plataforma de TV-commerce que traz para a televisão mais uma oportunidade de comércio de produtos e serviços.

A yubuy surgiu em 2015 como uma aposta de estratégia do grupo InnoWave. Através das boxes das diferentes operadoras, é possível que os utilizadores recorram à televisão para fazer compras, dispensando o computador ou o smartphone.
De acordo com os fundadores da empresa, a yubuy é «uma plataforma inovadora de comércio eletrónico que permite, com poucos cliques no telecomando, efectuar compras de produtos e serviços directamente na televisão, através de uma aplicação».
É lá que é possível encontrar diferentes catálogos de produtos e serviços que já incluem comida para fora, suplementos alimentares, vinhos ou livros. O utilizador escolhe aquilo que pretende na televisão e confirma a compra. A morada fica automaticamente definida, já que a box está associada a um endereço específico.
Os responsáveis da yubuy explicam que a ideia do projecto partiu de uma aposta da InnoWave, que dedicou «uma equipa dedicada em exclusivo ao desenvolvimento do espaço de TV-commerce, com capacidades a nível mundial», explicando ainda que a startup beneficiou «muito por ter nascido no grupo».
Os primeiros passos foram dados com a oferta de encomenda de comida para entrega em casa, iniciando-se depois os trabalhos para a criação de um marketplace com outras potencialidades e outros serviços.

À procura de novos parceiros e serviços
Depois da concepção da ideia, em 2015, era preciso fazer chegar ao mercado a plataforma. Os responsáveis da yubuy explicam que o modelo de negócio, na actual fase do projecto, é de «partilha de receitas, através de comissões em proporção das vendas efectuadas».
Em relação à resposta do mercado, os responsáveis dizem que estão a ter um bom feedback e que o público está a «aderir a esta nova forma de fazer compras», indicando que já ultrapassaram os «1,2 milhões de euros em vendas». Relativamente a números, a yubuy fala num funcionamento «em pleno no mercado nacional», com presença em cerca de «três milhões de lares» e «um milhão de visitantes».
Os responsáveis reforçam que se trata de uma «plataforma madura», mas isso não é sinónimo de trabalho concluído. «Estamos constantemente a desenvolver novas funcionalidades com o objetivo de melhorar a experiência do consumidor, mantendo a simplicidade de navegação».
Atualmente já com mais de «vinte lojas, dois canais autorizados de grelha e presença nos três principais operadores de televisão», a yubuy está «constantemente à procura de novos parceiros fornecedores de bens e serviços», com o objectivo de «aumentar a oferta». Nos próximos tempos, a yubuy quer dedicar-se a «novos desafios na área da publicidade interativa, da saúde e da responsabilidade social».

Confiança é senha para o sucesso no e-commerce mundial
As novas formas de consumo têm aberto portas para o comércio no Brasil, e esse é um dos motivos pelos quais o e-commerce brasileiro não para de crescer e as pessoas, cada vez mais conectadas, aumentarão em 85% suas interações com marcas por meio de canais móveis. Neste cenário – em que os dados estão por toda parte e as lojas virtuais acabam por se tornar alvos de criminosos que atuam na internet – a pergunta é: como impedir que os ataques interfiram no caminho de crescimento do e-commerce?
Para a ClearSale, especialista em análise de risco no setor, a confiança é a senha para o sucesso global. A empresa, que começou a sua operação em 2011, entende que balancear o equilíbrio entre os principais indicadores – índice de aprovação, índice de fraude e o tempo de resposta para o consumidor final – é uma das soluções que o setor precisa, em conjunto com processos que possuem o foco na experiência do consumidor e a promoção da segurança do mercado como um todo.
Pedro Chiamulera, CEO da empresa, garante que a prevenção de fraude deixou de ser apenas uma vantagem competitiva e se tornou fator determinante na estratégia de e-commerce de empresas em todo o mundo. “O novo consumidor está cada vez mais digital, preza pela boa experiência de compra, necessita de uma resposta imediata e acima de tudo, deve confiar na loja. Lojas que são conhecidas por sofrer tentativas de fraude correm o risco de perder grande parte do seu público, por esse motivo o investimento em segurança antifraude é essencial para o sucesso de um empreendimento varejista” diz o executivo.
Entre as ferramentas de prevenção de fraude e técnicas mais conhecidas está o Behavior Analytics, conjunto de ferramentas composto por Fingerprint, Mapper e Profiler, que coletam informações do dispositivo que está a ser usado para diferenciar uma compra legítima de uma fraude a partir de comportamentos suspeitos na atividade de compra.
Na ClearSale a detecção de uma fraude é uma combinação de bigdata, investigação detalhada e o nosso grande diferencial, a avaliação realizada manualmente por nossos especialistas quando necessária. A união desses fatores fez com que a nossa média de chargeback seja de 0,34%” diz Chiamulera. No Brasil, de acordo com a pesquisa Global Online Fraud Panorama o índice de chargeback é de 3,55%.
Além do uso de ferramentas tecnológicas e big data, equipas especializadas em fraude têm sido essenciais neste processo, pois conseguem analisar com profundidade algoritmos e dados em suas investigações. Chiamulera explica ainda que há um mito no mercado de que a análise manual demora, mas ela acontece em apenas 7,48% dos casos e pode ser feita com grandes volumes de informação.

Abril 2018

 

Bookmark and Share