Apple comprou e fechou a rede social iCloud

2017-03-13
Fonte: pplware/ Sapo Tek
Foto por: Apple

A Apple é das empresas que mais procura defender a sua propriedade intelectual e as suas patentes. A mesma ideia aplica aos seus serviços e a todo o seu ecossistema.

Por isso, e para evitar confusões com o seu serviço iCloud, comprou agora o domínio icloud.net e a rede social que estava disponível neste endereço.
São vários os domínios que a Apple detém relacionados com os seus serviços. A ideia é garantir que estes não são usados por terceiros para se promoverem e causarem confusão aos utilizadores, evitando também que estes sejam usados em esquemas de engenharia social.
A mais recente compra da empresa nesta área deu-lhe acesso ao domínio icloud.net, que pertencia a uma pequena rede social chinesa. Com a compra deste domínio esta mesma rede social vai ser fechada, não se sabendo se a Apple irá manter o domínio ativo.
Por agora, esse domínio apresenta apenas uma mensagem a indicar que os utilizadores devem eliminar as suas contas e que o serviço será descontinuado no final de fevereiro, sendo os dados destruídos no dia seguinte.
Esta não é uma situação nova para a Apple. O próprio nome e domínio iCloud.com foi comprado pela empresa em 2011. O seu anterior dono, a empresa sueca Xcerion, que tinha lançado o seu serviço cloud com esse nome em 2007, terá recebido 5,2 milhões de dólares. A Xcerion mais tarde transferiu para a Apple mais 170 domínios, entre eles iCloud.us, iCloud.eu e iCloud.tv.
Não se sabe ao certo quanto a Apple terá pago pelo domínio icloud.net, mas o valor desta rede social não estava avaliado num valor muito elevado, segundo a maioria dos avaliadores disponíveis na Internet.

Apple vai aumentar aposta na inteligência artificial e machine learning
Os escritórios de Seattle da tecnológica de Cupertino vão aumentar para que o foco nestas áreas seja cada vez maior.
Quase todas as empresas estão a apostar ou em inteligência artificial ou em machine learning, ou até mesmo nas duas áreas. A Apple não é exceção e, segundo indica o Apple Insider, a tecnológica de Cupertino vai expandir o seu escritório em Seattle onde a maioria do trabalho da empresa nesta área é feito.
Em agosto do último ano, a Apple comprou uma startup dedicada às duas áreas, a Turi. Carlos Guestrin, professor da Universidade de Washington e antigo CEO da startup, afirmou em entrevista ao GeekWire, que os engenheiros da Apple estão a olhar para a investigação em inteligência artificial tanto a curto como a longo prazo, para desenvolver novas funcionalidades para todos os produtos da tecnológica.
A Apple também estará a considerar associar-se a um consórcio de Inteligência Artificial, a Partnership on AI. Esta organização sem fins lucrativos foi lançada em setembro de 2016 e conta com nomes como Microsoft, Amazon, Google e IBM, entre muitas outras empresas.
Já esta semana, a Apple terá comprado a RealFace, uma startup israelita que desenvolve tecnologia de autenticação baseada em deep learning, um ramo da machine learning. Os termos deste negócio não foram tornados públicos, mas o Calcalist, que avançou com a notícia, estima que o valor gasto seja na ordem dos “milhões de dólares”.

Março 2017

 

Bookmark and Share