Cabo Verde aprova Estratégia Nacional de Banda Larga

2016-12-14
Fonte: África 21
Foto por: Cortesia de cookie__cutter em FreeDigitalPhotos.net

O Governo de Cabo Verde acaba de aprovar uma resolução que aprova a Estratégia Nacional da Banda Larga (ENBL) e cria a estrutura de suporte para a sua implementação, tendo em vista a massificação do acesso à Internet no arquipélago.

Segundo o Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Demis Lobo Almeida, a massificação da banda larga é vital para a dinamização da economia e a coesão social de Cabo Verde, devendo ser feita através da democratização do acesso às fontes de conhecimento e de capital intelectual e do combate à infoexclusão.
«A ENBL assume-se como a principal referência para o desenvolvimento de dois vetores-chave da Sociedade de Informação, designadamente a conetividade e a acessibilidade, permitindo a crescente infoinclusão dos cabo-verdianos e o desenvolvimento dos setores estratégicos da agenda de transformação do país, nomeadamente mar, agronegócios, serviços financeiros e cluster TIC», enumerou.
O governante explicou ainda que essa estratégia vai permitir a expansão do programa do ensino digital, que pretende criar um novo paradigma de ensino interativo através da utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Acrescentou que a estrutura de suporte que vai ser criada para a implementação da ENBL será integrada por uma comissão executiva que assegura a implementação efetiva dessa estratégia pelo Observatório da Sociedade de Informação e que terá por missão monitorizar toda a estratégia e a coordenação setorial, cuja missão será dinamizar a articulação e a cooperação entre as entidades públicas e privadas com responsabilidade no setor das TIC e das comunicações eletrónicas.
«Na prática trata-se de um instrumento de planificação que prevê a criação de estruturas capazes de assegurar a efetiva implementação e fazer a monitorização», disse Démis Lobo Almeida, indicando que esta estratégia tem também como um dos objetivos a redução do custo do acesso à Internet, garantindo assim a sua massificação.
Segundo o responsável, o prazo para a implementação do ENBL termina a 31 de dezembro, devendo a comissão executiva elaborar e submeter, anualmente, para apreciação e homologação dos membros responsáveis pelas comunicações eletrónicas /TIC e Reforma do Estado, um relatório de progresso, e, até março 2019, o relatório final.
O estudo mais recente da União Internacional das Telecomunicações (UIT) aponta Cabo Verde como um dos países africanos com maior penetração de Internet, tendo já 37,5% da população acesso à Banda Larga.

Novembro 2016

Bookmark and Share