Angola: Comunicações eletrónicas mais acessíveis

2016-12-13
Fonte: Jornal de Angola
Foto por: Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação

A melhoria das condições de acesso dos serviços de comunicações eletrónicas nos municípios e comunas é uma das principais recomendações saídas do Sexto Conselho Consultivo do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação.

O encontro, que decorreu no Instituto Superior para as Tecnologias de Informação e Comunicação, em Luanda, recomendou a implementação dos Programas de Cobertura das comunicações eletrónicas nas zonas rurais e transfronteiriças.
Orientado pelo titular da pasta, José Carvalho da Rocha, o conselho consultivo defendeu que se deve aumentar a qualidade de cobertura e de serviços das comunicações eletrónicas, em todo território nacional.

Acesso à internet
Os participantes decidiram continuar a colaborar com os Operadores e Prestadores de Serviços de Comunicações Eletrónicas na disponibilização do acesso a internet, de modo a dinamizar o processo de inclusão digital.
O encontro definiu que se deve assegurar a partilha das infra-estruturas de telecomunicações aptas ao alojamento de redes de comunicações eletrónicas, nas novas urbanizações, edifícios públicos e privados. Paralelamente a isso, o Instituto Angolano das Comunicações (INACOM) deve continuar a trabalhar com as representações regionais, no sentido de melhorar as infraestruturas, equipamentos e formação de quadros.
Ao proceder ao encerramento do conselho consultivo, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação realçou as principais ações do Executivo na melhoria e crescimento do sector.

Desafios do sector
José Carvalho da Rocha destacou também os desafios do sector ao nível das redes e dos serviços, para uma contínua prestação de serviços aos cidadãos com qualidade e a preços acessíveis.
“Devem ser gizadas soluções e contribuições na gestão do espectro Rádio Eléctrico, implementação da governação eletrónica e administração central e local do Estado, para atingir objetivos como a sociedade de informação.”
O presidente da Administração do Instito Nacional de Comunicações (INACOM), Paulo Benje, apresentou o tema “Reforma Legislativa do Sector das TIC”, e referiu que o pacote legislativo dá o enquadramento para a entrada em vigor de um novo regime de licenciamento no sector, assegurando, no Plano Estratégico de Frequências e Numeração, o acesso das empresas de telefonia móveis, que definem as linhas das orientações gerais de frequências.
“Também foi introduzida a modalidade de licenças multi-serviços, instrumento que dá a possibilidade a um maior número de cidadãos de abrirem mais empresas e prestação de serviços”, referiu Paulo Benje, que acrescentou que o INACOM vai dar inicio da implementação de novas licenças no primeiro trimestre de 2017. O coordenador da Comissão de Gestão da Angola-Telecom, Manuel António, revelou que a empresa está a preparar mais serviços e produtos a ser implementados em projetos de melhorias nas infraestruturas.
Para o efeito, disse Manuel António, o Executivo contribuiu com um financiamento que resultou num programa de multi-serviços de redes, já em fase conclusiva.

Novembro 2016

Bookmark and Share