Netflix lança primeiro conteúdo original português

2016-11-14
Fonte: Diário de Notícias
Foto por: Netflix

Espetáculo do humorista Salvador Martinha é o primeiro formato produzido em exclusivo para serviço de "streaming". Há ainda filmes de realizadores nacionais e formatos da SIC.

Salvador Martinha é o primeiro português a ter um espetáculo de stand-up comedy na Netflix. Disponível desde 7 de outubro, Na Ponta da Língua alcançou outro feito. É também o primeiro conteúdo criado de raiz para o catálogo disponível em Portugal. Uma conquista que não deixa o humorista indiferente: "É um motivo de grande orgulho. No ano passado fiz 40 espetáculos pelo país, mas há cidades a que não cheguei. As pessoas que não conseguiram ver o espetáculo ao vivo, conseguem vê-lo agora através da Netflix", diz Salvador Martinha ao DN.
Ainda assim, o humorista espera ser o primeiro de muitos a estarem presentes na plataforma digital. "É importante para Portugal e para todos os profissionais do humor", diz. Opinião partilhada pelo colega Rui Sinel de Cordes. "Penso que não há uma única pessoa desta indústria no mundo que não gostasse de ver o seu trabalho na Netflix", afirma o stand-up comedian, que tem no catálogo Netflix Gente da Minha Terra e Gente da Minha Terra - Europa.
A ideia de propor o espetáculo Na Ponta da Língua à Netflix partiu da produtora Valentim de Carvalho. "Achámos que este espetáculo tinha potencial para ser levado a um meio diferente daquele que é a televisão. Captámos o último dia do espetáculo em Lisboa [no dia 16 de janeiro no Teatro da Trindade] e entrámos em contacto com a Netflix, que visionou a gravação. Mostraram-se interessados e, a partir daí, partimos para a negociação", explica Patrícia Louro, Diretora-Geral de Conteúdos da Valentim de Carvalho.
Uma negociação "relativamente rápida e fácil", explica a responsável, admitindo no entanto que a Netflix tem "muitas exigências técnicas, porque é um serviço que recorre ao streaming". Aos aspetos técnicos juntam-se também outros requisitos ligados à comunicação do produto: fotografias, trailers, elementos gráficos e até legendagens para deficientes auditivos fazem parte do pacote que é entregue à empresa criada por Reed Hastings e Marc Randolph.
O valor do conteúdo é estipulado com base numa tabela de preços criada pela Netflix, aplicada ao mercado europeu. "Existe, depois, alguma variação de valores, para cima ou para baixo, consoante aquilo que é o produto em si. O que eles pagam aqui em Portugal não andará longe daquilo que a Netflix paga pelo mesmo conteúdo em Espanha", esclarece Patrícia Louro.
No valor da negociação entram outros aspetos como os custos de produção e a exclusividade da exibição do produto. "Um modelo de negócio para um programa deste género é relativamente simples. É um espetáculo gravado, em que se negoceia o valor e a quantidade de tempo que pode estar disponível na plataforma. Fica também definido o período de renegociação", esclarece a Diretora-Geral de Conteúdos da produtora, sem revelar se novos conteúdos estão prontos para ser apresentados à Netflix.

RTP e TVI com plataformas próprias
Na Netflix existem apenas mais dois espetáculos de stand-up comedy em língua portuguesa, ambos do humorista brasileiro Rafinha Bastos, A Arte do Insulto e Péssima Influência. O catálogo português inclui ainda filmes e documentários de realizadores como João Canijo, Gonçalo Tocha e Miguel Gonçalves Mendes e vários programas da SIC.
A SIC é, aliás, o primeiro canal português - e até agora o único - que estabeleceu uma parceria com a Netflix, o que representa "mais um passo na estratégia de diversificação de receitas e de presença em várias plataformas", refere fonte oficial da estação ao DN. A SIC disponibiliza novelas, séries infanto-juvenis, telefilmes, documentários, reportagens e programas de humor.
A SIC é a única das três estações que não tem a sua própria plataforma digital, onde estão alojados os conteúdos depois de exibidos nos canais. A RTP tem o RTP Play e a TVI o TVI Player, uma das "bandeiras" da estação de Queluz de Baixo "que temos de proteger", explica Margarida Vitória Pereira, Diretora de Programas Internacionais da TVI. "O TVI Player compete com a Netflix no sentido em que os conteúdos que lhe poderíamos fornecer são exatamente os mesmos que estão na nossa plataforma. É, portanto, uma decisão estratégica da Media Capital", esclarece Vitória Pereira, sem fechar a porta a uma futura colaboração com a multinacional norte-americana.
Daniel Deusdado, Diretor de Programas da RTP1, vai ao encontro da estratégia da estação de Queluz de Baixo e destaca o RTP Play como um "canal importantíssimo" para o posicionamento da RTP nas plataformas digitais.

Outubro 2016

Bookmark and Share