85% das aplicações corporativas em nuvem apresentam riscos de segurança

2017-02-12
Fonte: TeleSíntese
Foto por: Cortesia de hywards em FreeDigitalPhotos.net

As empresas que estão a transferir parte de seus processos para a nuvem, confiando em que os dados estarão seguros, precisam ter cuidado. O Relatório divulgado no passado dia 31 de janeiro, pela Cisco, indica que 85% das aplicações B2B, em nuvem pública ou privada, apresentam alguma brecha de segurança.

Segundo o “Relatório Anual de Cibersegurança 2017“, das 220 mil aplicações disponíveis em nuvens corporativas atualmente, 27% apresentam alto risco aos usuários, e 58%, risco médio. Ou seja, 85% das aplicação não podem ser consideradas seguras. O estudo ouviu 3 mil diretores dos departamentos de segurança de empresas distribuídas em 13 países, na segunda metade de 2016.
O grande risco acontece no momento da identificação do usuário que pretende aceder à aplicação na nuvem, sendo comum as empresas autorizarem o uso de ferramentas (...)

Mais de mil aldeias na Índia terão Wi-Fi grátis

2017-02-11
Fonte: Notícias ao Minuto
Foto por: Cortesia de pazham em FreeDigitalPhotos.net

Aceder à internet na Índia está prestes a ficar muito mais fácil, com o governo a ter intenções de equipar mais de mil aldeias em todo o país com Wi-Fi grátis. A iniciativa acontece por via de um projeto piloto de nome Aldeia Digital, conta a CNN.

O projeto terá lugar ao longo dos próximos seis meses e integrará em 1.050 aldeias indianas uma torre responsável por emitir sinal Wi-Fi, a partir da qual os habitantes dessas zonas poderão aceder à internet com recurso aos seus smartphones. O custo inicial do projeto a rondar os 58 milhões de euros, com o governo a planear estendê-lo até a outras zonas do país.
Serve referir que este é um dos primeiros (e aparentemente mais significativos) esforços do governo indiano em ligar as zonas mais remotas do país à internet. Até (...)

Google recusa pagar pelo uso de conteúdos

2017-02-10
Fonte: Correio da Manhã/ Exame Informática
Foto por: Google

A Google considera que não deve pagar aos órgãos de comunicação social pela produção dos conteúdos que alimentam o motor de busca, afirmou no passado dia 15 de janeiro, em Lisboa Madhav Chinnappa no 4.º Congresso dos Jornalistas.

O Diretor de Notícias da Google para a Europa, África e Médio Oriente, que integrou o painel ‘A Viabilidade Económica e os Desafios do Jornalismo’, considera que "a Google News não é um agregador de conteúdos mas antes um amplificador de notícias". E o executivo da multinacional norte-americana acredita que todos os órgãos de informação querem fazer parte do índice daquela página. "Consideramos que o que de mais valioso esses meios recebem é o tráfego por ela gerada. E, se não estiverem de acordo, podem controlar como (...)

A Era da Cloud Computing como a conhecemos já está perto do fim

2017-01-16
Fonte: CIO/Brandon Butler, NetworkWorld/EUA
Foto por: Cortesia de pakorn em FreeDigitalPhotos.net

Eis uma previsão incomum nos dias atuais, mas feita de forma categórica: A computação em nuvem, tal como a conhecemos hoje, estará obsoleta dentro de poucos anos. A previsão é de ninguém menos que Peter Levine, sócio da companhia de capital de risco Andreessen Horowitz, que investe em empresas de tecnologia como o Groupon, Lyft, BuzzFeed, Skype, entre outras.

Ele acredita que o maior poder computacional dos dispositivos inteligentes da Internet das Coisas, combinado com tecnologias de aprendizagem de máquina cada vez mais precisas, substituirão em grande parte as infraestruturas de nuvem pública (IaaS).
"A nuvem hoje é baseada em um modelo muito centralizado de computação”, disse Levine. "Informações são enviadas para a nuvem, onde são armazenadas e processadas. Muitas aplicações vivem na nuvem e os data centers estão sendo migrados para ela", acrescentou.
No entanto, (...)

Telemóveis revelam (quase) tudo sobre nós

2017-01-16
Fonte: Expresso/ Vera Lúcia Arreigoso
Foto por: Cortesia de scottchan em FreeDigitalPhotos.net

O telemóvel é um poderoso instrumento de comunicação. Liga-nos aos outros e liga-se a nós próprios, armazenando informações pessoais sobre quase tudo. Além de registar chamadas e mensagens, sabe-se agora que do lado de fora armazena dados sobre o que o utilizador come, o sabonete que usa, as viagens que fez ou até os remédios que toma. Como? Basta tocar-lhe.

A ‘assinatura química’ é feita através da pele, pela transpiração ou somente pelo contacto. As moléculas das substâncias no organismo e em redor do utilizador são transferidas para o telemóvel quando lhe toca com a mão ou com o rosto. E o rasto não se apaga facilmente.
Segundo o estudo publicado na revista da Academia Nacional de Ciências dos EUA, as pequenas moléculas (metabólitos) podem permanecer na superfície do telefone durante muito tempo e mesmo quando o utilizador já não está em contacto com esses produtos. Por exemplo, o (...)

Das telecomunicações para o controlo aéreo: Vodafone quer ajudar a gerir tráfego de drones

2017-01-16
Fonte: Sapo Tek
Foto por: Cortesia de Naypong em FreeDigitalPhotos.net

As operadoras de telecomunicações estão a procurar fincar pé no mundo dos drones. A Vodafone foi a primeira a declarar as suas intenções neste campo.

A empresa britânica está a considerar entrar no negócio da gestão do tráfego aéreo de drones, numa altura em que a regulamentação destes veículos não-tripulados está a conquistar cada vez mais destaque nas agendas políticas nacionais e europeias.
De acordo com o “Financial Times”, a Vodafone expressa o seu interesse na gestão da circulação de drones numa altura em que as autoridades europeias estão a procurar conceber um quadro legislativo para regular a operação destes aparelhos.
As estimativas apontam para que, em 2035, (...)

Canadá vai criar fundo de 750 milhões para investir em internet de qualidade

2017-01-16
Fonte: Sapo Tek
Foto por: Cortesia de Graphics Mouse em FreeDigitalPhotos.net

O país vizinho dos Estados Unidos considera que a banda larga fixa de alta-velocidade deve estar ao alcance de todos e que é "essencial" para a qualidade de vida dos cidadãos e para a prosperidade económica.

As intenções da entidade reguladora das telecomunicações do Canadá são claras e, nas suas próprias palavras, são “ambiciosas”. Em comunicado oficial, a CRTC sublinha que o investimento na melhoria das infraestruturas de internet de banda larga fixa de qualidade é essencial para os cidadãos canadianos possam contribuir ativamente e beneficiar da chamada “economia digital”.
O objetivo é que os consumidores possam ter acesso a um serviço de internet fixa que lhes ofereça uma velocidade de download mínima de 50 Mbps e (...)

A televisão está finalmente a ter o seu momento de revolução digital

2017-01-16
Fonte: The Economist
Foto por: Cortesia de SOMMAI em FreeDigitalPhotos.net

O futuro da televisão estava previsto para chegar mais ou menos agora, num banho de sangue digno das cenas mais sangrentas da série “Game of Thrones”. O elevado custo da TV por cabo na América, conjugado com um serviço ao cliente desastroso e o aparecimento de serviços streaming a pedido como substitutos baratos, irá levar milhões a desistir do seu operador de cabo. Os clientes vão ter TV na internet e pagar muito menos por isso. Muitos canais obscuros, com baixas audiências irão entretanto desaparecer rapidamente.

Pelo menos, era isto o que muitos na indústria antecipavam. Em vez disso, a morte anunciada da velha televisão tem sido através duma hemorragia lenta. Os lares americanos começaram a desviar-se da oferta por cabo, mas a um ritmo de apenas 1% anual. O número de espetadores de televisão está em declínio, especialmente entre os muito cobiçados jovens. Contudo, as empresas de media continuam a prosperar, porque os preços dos anúncios continuam a subir e o preço da TV por cabo continua também a subir anualmente, O uso da Netflix e outros serviços de (...)

TDT em Angola paga pelos chineses e por privados

2017-01-16
Fonte: Sapo 24
Foto por: Cortesia de Graphics Mouse em FreeDigitalPhotos.net

O Governo angolano quer enquadrar o programa de migração da televisão analógica para digital na linha de crédito da China e envolver empresas privadas no processo, para reduzir os encargos do Estado, face às dificuldades financeiras do país.

De acordo com o conteúdo de um despacho presidencial de dezembro, ao qual a Lusa teve hoje acesso, a empresa pública TVDA – Serviços de Transmissão e Difusão, criada para a migração digital dos serviços de teledifusão terrestre, passa a ter um capital social subscrito em apenas 16% pela Televisão Pública de Angola.
O Ministro das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação deve assegurar todos os procedimentos legais e administrativos com entidades privadas para a subscrição dos 84% do capital social no investimento (...)

Google aposta em Lisboa para promover sistema Android

2017-01-16
Fonte: RTP/ Nuno Patrício e Sara Piteira
Foto por: RTP

Estamos crescentemente enraizados no mundo tecnológico. Ter acesso a um computador, em casa ou no trabalho, é cada vez mais normal e a sua utilização faz parte da rotina. Nos últimos anos, Portugal tem acompanhado esta evolução com uma séria aposta - nos domínios empresarial e governamental.

Adotar mecanismos facilitadores é um objetivo primordial de muitas empresas, sempre com o objetivo de chegar mais perto do cliente.
Atentas ao empreendedorismo nas áreas da tecnologia estão as empresas motrizes como a Google, que aproveitam as potencialidades de países como Portugal. Foi a busca de oportunidades personificadas em startups portuguesas que serviu de base ao Android Innovation Day.
Promovido pela Google, o evento pretendeu ser uma mostra do que de melhor se faz por cá utilizando a plataforma Android.
Um exemplo (...)