CTT com novo posicionamento de Marca

2020-03-13
Fonte: CTT – Correios de Portugal
Foto por: CTT – Correios de Portugal

Os CTT apresentam esta segunda-feira, dia 17 de fevereiro, um novo posicionamento de marca: “Os CTT são o operador de entrega total”, que reflete a evolução da empresa e o novo paradigma de mercado.

Segundo João Bento, CEO dos CTT, “com este novo posicionamento, os CTT apresentam uma nova arquitetura de marca mais simples, refletidos também num novo site e numa nova app, que mostram a fortíssima aposta que a empresa está a fazer na adaptação à nova realidade do negócio. Com este novo posicionamento de marca são também lançados um novo site e uma nova app, que constituem apenas o arranque do que será uma presença digital cada vez mais forte.”
Este movimento é muito mais de que um novo posicionamento de marca, simboliza a nova fase da empresa que, no ano em que se celebram 500 anos de correio, dá passos marcantes de preparação para os desafios do presente e do futuro.
Os CTT assumem-se como empresa orientada para o cliente e para as suas necessidades, com uma oferta segmentada para particulares e empresas, com soluções que começam no envio de correio e expresso, que passam pelas melhores ofertas de poupanças e por um portefólio alargado de produtos de conveniência na sua rede de lojas e a oferta de soluções de publicidade, de logística, de outsourcing de processos e de apoio à presença no mundo do comércio eletrónico, para apoiar as empresas no seu processo de digitalização e crescimento.
Os CTT estão assim a alterar a forma como se apresentam, comunicam com o mercado e querem ser reconhecidos: um parceiro de negócio de confiança, que liga pessoas e empresas, e com quem os seus clientes podem contar para os apoiar a aumentar a eficácia e eficiência das suas atividades em alinhamento com os nossos valores de proximidade e a nossa capacidade de inovação.
Com a nova assinatura de marca surge uma nova família de mensagens para o mercado – “de uma encomenda ao que quiser”, “de uma encomenda ao que deseja”, "de uma encomenda ao que sonha” –, bem como uma nova linguagem visual em diversos suportes.
Há uma maior simplicidade da marca CTT, passando a utilizar-se a sigla para dar mais força e coerência à comunicação, mas também para facilitar a compreensão da organização da marca nas suas múltiplas valências. Foi feita uma reorganização do portefólio, tornando-o mais simples e claro para o cliente, fazendo desaparecer algumas marcas de produtos, por troca com descritivos do que é o produto/serviço associados à sigla CTT.
Os CTT têm uma das maiores redes de retalho do país e, por isso, também as suas Lojas próprias vão, de forma gradual, evoluir para um novo conceito, mais moderno e dinâmico, indo ao encontro dos comportamentos e necessidades dos clientes e com uma experiência de Loja mais efetiva, relacional e de conveniência.
A agência responsável pelo novo posicionamento dos CTT foi a Havas.

Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações inaugura novas máquinas de tratamento de correio dos CTT
O Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações inaugurou, no passado dia 14 de fevereiro, as novas máquinas de tratamento de correio adquiridas pelos CTT no âmbito da modernização da operação de tratamento de correio.
Estes quatro novos equipamentos, adquiridos à Solystic, empresa líder na área de soluções automatizadas de separação de correio e encomendas, têm capacidade para tratar diariamente 800 mil cartas finas ou cerca de 350 mil objetos de correio médio.
Com a introdução desta nova tecnologia os CTT reduzem o risco da atividade, reforçam a eficiência e a qualidade, melhoram as condições de trabalho dos carteiros, aumentam a automatização e robustecem o controlo e identificação dos objetos tratados na rede postal.
Estes novos equipamentos (quatro no Centro de Produção e Logística Sul e um, em fase de instalação, no Centro de Produção e Logística Norte) representam um investimento de 15 milhões de euros e integram os 40 milhões de investimento previstos até 2021, no âmbito do Plano de Modernização e Investimento.
O objetivo é modernizar o parque de equipamentos e sistemas operativos da atividade postal, aumentando a eficiência e reforçando a automatização nos CTT, vai funcionar como uma das principais alavancas para atingir os objetivos do PMI. Estes equipamentos de tecnologia de ponta vão substituir material que já está ultrapassado e reforçar a posição dos CTT junto dos melhores operadores postais a nível mundial, garantindo a sustentabilidade da operação e o cumprimento no longo prazo dos níveis de qualidade de serviço prestados.

Fevereiro 2020

Bookmark and Share