Correios de Angola e Mwango Brain assinam acordo para desenvolvimento de sistema integrado de gestão

2019-03-06
Fonte: Manifexto/Correios de Angola

No passado dia 18 de fevereiro, os Correios de Angola e a Mwango Brain, S.A., empresa de direito angolano, especializada em Tecnologias de Informação, formalizaram o início da criação e implementação do Sistema Integrado de Gestão dos Correios de Angola.

Esta ação é resultado e sequência de um contrato assinado em 2017, nas instalações dos Correios de Angola pela Presidente do Conselho de Administração, Luísa Andrade, e pelo CEO e Co-Fundador da empresa Mwango Brain, Aniceto J. J. D’Carvalho.
Aniceto J. J. D’Carvalho revelou-nos que o desenvolvimento do referido Sistema está dividido em duas fases e direcionado, primeiro, para os clientes dos Correios, e posteriormente para o público de forma geral.
O Sistema Integrado de Gestão dos Correios de Angola vai melhorar e facilitar as entregas e administração de clientes, considerando a dinamização e modernização dos seguintes processos, pela Mwango Brain:
• Gestão dos Correios (Expresso);
• Gestão de Apartados;
• Gestão de Processos;
• Gestão de Serviços CA;
• Gestão de Clientes;
• Gestão de Informação Interna;
• Gestão de Arquivos;
• Gestão de Expediente Interno.
Após a funcionalidade e consolidação da primeira fase, os Correios de Angola e a Mwango Brain estarão focados no endereçamento dos cidadãos angolanos, o que quer dizer que futuramente todos os endereços estarão reconhecidos na Empresa Nacional de Correios e Telégrafos de Angola (ENCTA).
De acordo com Aniceto D’Carvalho, o endereçamento em Angola ainda não é adequado para atender às necessidades diárias, pois podem ser imprecisos ou ambíguos.
Estima-se que milhões de pessoas em Angola não contam com uma maneira confiável de endereçar as suas casas. Como consequência, não têm acesso aos serviços sociais e cívicos básicos. Têm dificuldade para abrir contas bancárias, registar um nascimento ou ter acesso ao fornecimento de eletricidade e água. Sem a possibilidade de comunicar o local em que vivem, os cidadãos tornam-se invisíveis para o estado. Este quadro afeta vidas. Pode significar despesas acrescidas, dificuldade para o crescimento e desenvolvimento, e também restrição da mobilidade social.
“O endereçamento utilizado em Angola pode ser melhorado para atender às necessidades diárias das comunidades. A Mwango Brain tem dedicado a maior parte do tempo a trabalhar em soluções que visam melhorar o sistema de endereçamento nacional, que vai permitir com que todas as pessoas consigam em qualquer parte de Angola, de forma precisa e simples transmitir informações sobre localização”, disse Aniceto D’Carvalho.
A Mwango Brain está no mercado há 9 anos e tem como slogan “Damos vida às suas ideias”.
Conta com uma equipa de 21 profissionais especializados em usar a tecnologia e criatividade para os serviços de desenvolvimento de sistemas Web, Base de Dados, Aplicativos Móveis, Design e Animação Gráfica, Consultoria de Comunicação e Imagem, Assessoria de Imprensa, Marketing e Publicidade e Fotografia e Vídeo.
Correios de Angola e AGT assinam protocolo
Foi assinado a 25 de fevereiro deste ano, um protocolo de entendimentos entre a AGT - Administração Geral Tributária e os Correios de Angola, com a presença dos PCA’s de ambas instituições, nomeadamente Dr. Silvio Burity e Dra. Maria Luísa Andrade que versa, entre outros temas, sobre a implementação do projeto «Exporta Já» pelos Correios de Angola, que tem como objetivo simplificar o processo de exportação de produtos angolanos, de forma a fomentar o crescimento deste importante mercado para o país.
O «Exporta Já» visa apoiar principalmente as MPME’s (Micro, Pequenas e Medias Empresas), desburocratizando os processos de exportação para produtos nacionais, limitados a valor e características de transportação internacional, já que os Correios de Angola irão utilizar a rede EMS (Express Mail Service) da UPU para o envio aos destinatários, tendo como mercado potencial os cerca de 190 países membros da União Postal Universal.
O «Exporta Já» se enquadra nas medidas levadas a cabo pelo Executivo Angolano, no sentido de apoiar as MPME’s e a fomentar a exportação, gerando divisas, emprego e renda no país.

Fevereiro 2019
 

Bookmark and Share