Angola Cables apresenta no Brasil circuitos de telecomunicações

2017-04-10
Fonte: Angop/ O Povo
Foto por: Angola Cables

A empresa Angola Cables apresentou nos passados dias 28 e 29 de março, no Capacity Latam, no Rio de Janeiro (Brasil), a sua visão e experiência de telecomunicações no domínio dos circuitos internacionais de telecomunicações.

De acordo com uma nota da Angola Cables a que a Angop teve acesso, durante os dois dias estas experiências foram partilhadas no maior evento do sector na América Latina.
Lê-se no documento que para construir os sistemas de cabos submarinos de fibra ótica, que vão ligar o continente africano aos maiores centros de produção de conteúdos e serviços digitais, foi necessário investimentos nos terminais dos cabos, sobretudo o SACS e o Monet, no Brasil e Estados Unidos da América, respetivamente.
Esse investimento, além dos benefícios para Angola e o continente africano, está a impactar positivamente sobre as telecomunicações na região da América Latina, atraindo para aquele mercado grandes empresas como a Amazon, facto que está a tornar a multinacional angolana um dos operadores mais relevantes no sector a nível da região.
Na nota, o Presidente da Comissão Executiva da Angola Cables, António Nunes, diz que o posicionamento da Angola Cables neste mercado tem grandes vantagens para o país, partindo do princípio que o Brasil, onde está a ser construído um data center e duas estações de cabos submarinos, além de ser um importante ponto de produção de conteúdos, funciona como um agregador e distribuidor de tráfego.
Estando ligados ao Brasil e aos Estados Unidos da América, temos acesso rápido e direto aos conteúdos disponíveis nesses mercados. E para a América Latina, os nossos circuitos passam a ser a rota mais rápida para aceder aos conteúdos, produtos e serviços digitais alojados na Ásia” – refere António Nunes
A Angola Cables é responsável pela gestão e desenvolvimento do WACS (West Africa Cable System) e pela disponibilização de capacidade de transmissão internacional a operadores de telecomunicações com o objetivo de aumentar a interligação entre Angola e o mundo.

Angola Cables investirá US$ 50 milhões em Fortaleza este ano
A Angola Cables, empresa de telecomunicações de Angola, prevê investir US$ 50 milhões até o fim deste ano nos três projetos que possui em Fortaleza (Brasil). Apenas até este mês já foram gastos US$ 10 milhões, conforme Rafael Pistono, CEO da companhia no Brasil.
Hoje a empresa está na fase conclusiva do sistema Monet, cabo submarino com tecnologia de fibra ótica que liga Santos (SP) a Miami (EUA), passando por Fortaleza. "Estamos na fase de construções terrestres, com 80% do projeto como um todo construído", diz. A estimativa é concluir o sistema, com consequente entrada em operação entre setembro e agosto deste ano.
Na Praia do Futuro, também está em construção a estação do South Atlantic Cable System (Sacs), que ligará a Luanda a Fortaleza e já está com 50% de conclusão. Na última semana, a empresa construiu o Survey, quando é realizado o mapeamento do trajeto e solo onde o cabo será instalado em alto mar.
A empresa ainda está construindo um data center na Praia do Futuro, no qual os cabos Monet e Sacs estarão interligados. A previsão de conclusão é para o primeiro semestre do próximo ano. De caráter neutro, o empreendimento permitirá que outras empresas interliguem seus sistemas a ele. "Pretendemos que ele seja um grande polo de interconexão mundial e nacional. Um grande provedor de conteúdo", afirma Rafael Pistono.
Ao todo, os três projetos terão investimento e US$ 300 milhões. Sendo que o sistema Monet conta com parceria da Google (com duas fibras no cabo), Algar (com uma fibra) e Antel (com uma fibra). A Angola Cables possui duas fibras.

Março 2017

Bookmark and Share