Angola Cables inaugura o seu primeiro POP em África do Sul

2016-12-14
Fonte: Tele síntese/ ANGOP
Foto por: Angola Cables

Como parte da consolidação da Angola Cables como um dos principais polos de conectividade no continente africano, a empresa anunciou a inauguração de seu primeiro ponto de presença (POP) na África do Sul, localizado em Teraco, Johanesburgo. Na África, a empresa está concentrada nos 15 Estados membros da Comunidade de Desenvolvimento do Sul Africano (SADC), com o objetivo de ser o principal fornecedor de serviços de telecomunicações para o mercado angolano.

O novo POP, segundo a empresa, começa a operar em dezembro. Paralelamente, ela desenvolve os projetos de construção de dois cabos submarinos. O Monet, que vai interligar Miami, Fortaleza e São Paulo, em 2017, e o South Atlantic Cable System (SACS) entre Luanda (Angola) e Fortaleza, em 2018.

Angola Cables e Amlight assinam acordo para infraestrutura de pesquisa e educação
Um acordo que visa a colaboração conjunta no desenvolvimento de uma rede de internet de próxima geração para pesquisa e educação entre o continente africano, os Estados Unidos da América e América Latina foi assinado em Luanda, pela Angola Cables e Amlight.
O objetivo principal das duas instituições é ligar as comunidades de investigadores e estudantes, promovendo a criação e partilha de conhecimento entre os países envolvidos.
O Diretor Executivo da Angola Cables, António Nunes, disse que a assinatura solidifica o compromisso em apoiar a investigação e educação entre o continente africano e as Américas, através da operação da infraestrutura de rede de produção para comunicação e colaboração.
O Diretor-Geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) do Brasil, Nelson Simões, referiu ser um momento histórico que marca o início da conectividade direta de cabo submarino entre a América Latina e o continente Africano, e que a sua instituição está preparada para começar a operar um novo ponto de intercâmbio internacional aberto para pesquisa e educação em Fortaleza, Brasil, em colaboração com os membros do consórcio Amlight.
Salientou estar em curso planos para interligar as comunidades de investigação e educação dos EUA e do continente africano, estabelecendo uma ligação de rede de alto desempenho entre o ponto de intercâmbio internacional AMPATH, em Miami, o Angonix, ponto de troca com raiz em Luanda, e o Defined Exchange (SDX) em São Paulo.
Explicou que para promover o desenvolvimento de pontos emergentes de intercâmbio internacional em Fortaleza e Luanda, a RNP opera um novo ponto de intercâmbio aberto que apoiará infraestruturas de Luanda como de Miami, bem como ligações terrestres e submarinas para sul, futura conectividade prevista para Europa e novas ligações intercontinentais.

Novembro 2016

 

Bookmark and Share