XIX Fórum AICEP: Painel «Inovação e Diversificação»

De 2011-05-18 a 2011-05-18

 No 1.º dia do XIX Fórum AICEP, dia 18 de maio, pelas 15h, realizou-se o Painel «Inovação e Diversificação».

O objetivo deste painel foi proporcionar aos participantes informação e reflexão, sobre inovação, desenvolvimento de produto, comercialização e marketing, novas ideias, com base em casos fora do setor das comunicações.

Foram convidadas empresas e institutos de investigação que constituem bons exemplos de inovação, de diversificação, de disrupção, que permitiram desenvolver, revolucionar e incrementar negócios e soluções, algumas impensáveis sem a incorporação de inovação e de ousadia.

 

Moderador: Dr. Francisco Murteira Nabo
O Dr. Murteira Nabo foi o moderador deste painel não só pelo seu passado e a sua obra nas Comunicacoes mas também nas áreas da Inovacao e da Economia.

Intervenções individuais: 

Dr. Francisco Mantero – Confederação Empresarial CPLP

  • O Dr. Francisco Mantero fez uma caracterização da importância da Lusofonia no Mundo global. Alguns dados:

- 3,3% do PIB mundial; 4,2% do Comércio mundial; 3,6% da população mundial vive em Países Lusófonos.
- A nível da integração regional a Lusofonia está presente na SADC; no Mercosul; na CEDEAO; na UEMOA; na CEEAC; na   ASEAN; na China; na UE.
- É língua oficial na UE; no Mercosul; na UA; na OEA; na CPLP; na União Latina; em Macau.
- A diáspora lusófona no mundo é muito numerosa e constitui um enorme potencial
- A importância da Lusofonia no Mundo é muito grande estando ainda aquém do reconhecimento devido.

 Eng. Jorge Sales – BRISA – Inovação

  • O Eng. Jorge Sales Gomes apresentou a Brisa Inovação (BI) e explicou a sua organização, fundamentação, objetivos e projetos implementados e a implementar em Portugal e no Mundo. 

A BI baseia-se numa perspetiva de aposta a longo prazo, no risco, no desenvolvimento do conhecimento, de que é possível criar valor em contexto de mudança e de que partilhando o conhecimento com outras entidades parceiras se cria mais valor.
Tem por missão assegurar o conhecimento do estado da arte nos sistemas inteligentes de transporte e maximizar a eficiência das soluções nas concessões da Brisa em Portugal e no Mundo.
O investimento em I&D permitiu, na BI, multiplicar por 18 o VAL (valor acrescentado liquido) de cada unidade monetária de investimento.
A BI concebeu o conceito de "pegada social" para avaliacao dos seus investimentos e tem em projeto a extrapolacao do conceito para os investimentos efectuados na sociedade, ou seja qual o VAL dos investimentos efectuados na sociedade.

Prof.ª Elvira Fortunato – Universidade Nova de Lisboa

  • A Prof.ª Elvira Fortunato apresentou os projetos e a perspetiva do centro de investigação que dirige na Universidade Nova de Lisboa.

Destacou, com base num filme “um dia feito de vidro” como poderá ser o amanhã com base nos desenvolvimentos tecnológicos que são cada vez menos futuristas e cada vez mais próximos do dia-a-dia.
Destacou os projetos em curso: investigação em células fotovoltaicas; células fotovoltaicas em superfícies cerâmicas; eletrónica transparente - lideres europeus – (com base em óxidos de zinco em vez de silício); bio-sensores; bio-baterias; materiais cromogénicos; papel como material base para dispositivos eletrónicos. Patentearam e registaram a marca “paper-e” e construiram um laboratorio de micro-electrónica e nano-fabricação.

Dr. Luis Saramago – Renova

  • O Dr. Luis Saramago apresentou a Renova e toda a inovação no produto e nas formas de comercialização associada ao papel higiénico da marca Renova.

O core business da empresa é a fabricação e comercialização de produtos descartáveis fabricados em papel vocacionados para a higiene de corpo e da casa.
A RENOVA considera que a competição tem de se basear na diferenciação, não no preço, pelo que a inovação e a diversificação são decisivas
A inovação tem para a marca 2 vertentes: a funcional e a emocional e assenta em 3 pilares principais: ética, estética e funcionalidade.

Dr.ª Clara Vieira – Claan

  • A Dr.ª Clara Vieira apresentou a claan e a forma como surgiu a partir de um projeto universitário com base num trabalho efetuado no programa europeu ERASMUS.

Para poderem publicar o trabalho final criaram um projeto – o Leafer – que converte um documento, uma publicação, etc, em pdf estático numa publicação multimédia de uma forma simples e acessível a qualquer pessoa e que permite uma experiência de leitura nova.
A empresa claan alicerça-se em 3 pilares básicos: inovação através de I&D; criatividade com “design thinking”; internacionalização.
 

Brisa Inovação 18_05_2011.pdf